05 setembro 2015






[ leituras ]




















“frank lloyd wright - a life”
ada louise huxtable
ed. penguin (lives)


como refere a autora nesta pequena (grande) biografia, há - e sempre houve - duas vidas de frank lloyd wright: a que ele criou e a que ele viveu. a primeira, a sua versão embelezada, consiste em todas as mitologias que associamos de imediato ao grande arquitecto - o génio sem par, o solitário incompreendido, o cruzado visionário. a segunda, não menos rica, abarca a realidade mais prosaica de uma vida amorosa cheia de tumultos, do dia-a-dia no estúdio, das evasões fiscais e das dívidas permanentes nunca saldadas - um retrato de alguém que soube criar uma existência acima das suas posses, e talvez a única que seria capaz de igualar a primeira.
quase no final do livro, fico com a sensação que ambas foram e são verdadeiras e que a verdade está, isso sim, inscrita na sua obra. os seus edifícios permanecem no nosso imaginário e revelam-nos o significado da(s) sua(s) vida(s) e da sua arte, que ele soube tão bem combinar para modificar a arquitectura - e o nosso modo de a olhar - para sempre.






2 comentários:

  1. Primeiro, gosto de ver aqui "leituras". Julgo ser uma nova rubrica. (Não, não fui verificar as etiquetas.)
    Não li o livro, mas pela sua sinopse, parece-me interessante. E isto toca-me especialmente porque eu penso muito(!) nessa questão de nós, ao mesmo tempo, podermos viver mais do que uma vida. À parte os vários papéis que desempenhamos (e julgo que não se refere a este aspecto), todos temos um lado público e outro privado que podem estar muito distantes. Vou dizer uma coisa esquisita e talvez disparatada: gosto de pensar na minha vida como uma matrioska com muitas peças e também de olhar para os outros dessa forma.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sim, é a primeira vez que o faço. ando sempre a ler 1 ou 2 livros ao mesmo tempo e este achei que merecia uma referência. tentarei actualizar estas menções honrosas ;)

      Eliminar