15 setembro 2017






kind  of  blue





foi no 30th street studio, na cidade de nova-iorque,
que a dois de março e a vinte e dois de abril, dois
dias particularmente luminosos nessa anunciada
primavera do glorioso ano de cinquenta e nove,
miles davis reuniu o seu sexteto para duas sessões
de gravação que se tornaram lendárias. nunca o seu
trompete havia soado daquela maneira, alternando
entre o riso e o choro, como uma voz humana faria.
e a dezassete de agosto do mesmo ano era por fim
lançado pela columbia records o seminal kind of blue,
por muitos eleito o melhor disco de jazz de sempre.
pelo meio, a vinte de junho e igualmente entre risos
e choros, nasci eu, e talvez por isso meio melancólico.







2 comentários:

  1. Há um ano tinha esse disco a rolar aqui como banda sonora da "minha" exposição e eu até disse assim: "ainda bem que ele lançou em 1959... por um pouco já não dava". É que o limite temporal de incidência da mostra era os anos 50.

    josé luís, mas era preciso tanta conversa para dizer o dia do seu aniversário?! E para onde enviamos as prendas?
    (Estou a brincar, claro.)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. já não faço anos (como dizia o poeta), somam-se-me dias... apenas achei graça a gravações em março e abril, edição em agosto e nascimento em junho desse ano (vintage, claro) :)

      Eliminar