10 dezembro 2013







como alguém escreveu, nunca foram um projecto de estúdio nem uma banda ao vivo, e sim uma entidade do tipo mutante que nunca sabia para onde ia. mas não só criaram uma das mais extraordinárias discografias portuguesas como se tornaram, à sua medida, um daqueles mitos só nossos. que me lembre nunca aqui os referi, mas são deles algumas das canções da minha vida - e vou começar a recordar algumas. porque basta ouvir este barro iluminado para perceber que muita da nossa melhor música nos passou ao lado. é… é hora de voltar a amar a b.d.c.



Ela é feita de argila

feita de pedra

erva brava que mesmo sem água medra

ela não sabe nem do futuro

nem do passado

só sabe o que sente

pressente o presente cansado



Ela é feita de chuva

feita de vento

lua emancipada desde o início do tempo

ela não sabe nem do arcanjo

nem do diabo

só sabe o que sente

pressente o presente adiado



Ela é luz de negro

luz de luz de luz

ela é luz que cega

luz que nos seduz



Ela é feita de verde feita de sumo

maltratada ainda linda de aprumo

ela não sabe nem da mentira

nem da verdade

só sabe o que sente

pressente o presente parado









2 comentários:

  1. Adorei a letra =)!
    Obrigada por dar a conhecer esta banda, não conhecia.

    ResponderEliminar
  2. obrigado pela visita susana. por que razão quase ninguém conhece a b.d.c. é mais um daqueles mistérios… ;)

    ResponderEliminar