20 dezembro 2012










Tu já tinhas um nome, e eu não sei
se eras fonte ou brisa ou mar ou flor.
Nos meus versos chamar-te-ei amor.







Eugénio de Andrade 








Sem comentários:

Enviar um comentário