09 fevereiro 2018






vim aqui apenas para ver
a escreverem-se uns poucos
de versos mais. um espectáculo
admirável, como todos os espectáculos
do mundo: ler a chuva,
compreender o vento, escrever
a água. (tudo o que traz purificação
consigo). movemo-nos sobretudo
na esfera do simbólico: a cadeira
imaginária, o ponto final que não existe,
o autor a tomar-se como objecto.




Rui Tinoco






Sem comentários:

Enviar um comentário