01 outubro 2017






Não são poemas




Não são poemas o que eu escrevo.
São casas onde os pássaros esperam.
Nas suas janelas coincide o mundo.
Nos seus esteios resvalam gigantes.
Algumas vezes ódio.
Algumas vezes amor.
Não são mortalhas incondicionais do medo.
O HÓSPEDE DA CASA NÃO
TEM O DEVER DE SER FELIZ!
Não são poemas que eu escrevo.
São espelhos onde os rostos principiam.





Rui Costa




6 comentários:

  1. vero, isto não é um poema, é um manifesto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. teria o meu voto se fosse manifesto eleitoral ;)

      Eliminar
  2. Que bom ter lido este autor por aqui. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ;) (tenho andado a ler a colectânea da assírio)

      Eliminar