05 outubro 2017





confissão  de  dédalo  na  véspera  do  voo






não, nem zeus poderia desatar estas redes de pedra
que me cercam. sim, esqueci todos os homens que
antes fui e vou seguindo este caminho bifurcado
entre paredes que não serão afinal o meu destino.
nesta poeira decifrei rastos que temi, quando nas
sombras aqui bramia aquele homem desolado com
cabeça de touro, ele que apenas ansiava pelo meu
sangue. se ainda aqui estivesse, ambos decerto nos
procuraríamos e este dia teria sido igualmente o
último de uma longa espera. isto é tão nítido que
daqui a milhares de anos até um cego argentino
o descreverá com surpreendente luminosidade.








Sem comentários:

Enviar um comentário