05 junho 2017






O barco impresso na areia.
O sal que,
pelo descuido que tudo infecta,
lhe vai rachando
a madeira.
Lentíssimas machadadas.
Lacónica realidade.





Vasco Gato






4 comentários:

  1. o nome deste senhor fica-me sempre a pairar na voz.
    dá um belo trava-línguas :)

    ResponderEliminar
  2. Não resisto.
    Vasco Gato, veste o fato, calça o sapato, aperta o casaco, sai de imediato. Porque é sensato, evita o desacato. É UM CHATO!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :
      da média estás acima
      és uma poeta de facto
      pois quem assim rima
      não é gago (nem gato)

      Eliminar