17 dezembro 2016





há quem não entenda que até um profissional pode por vezes não resistir à emoção. aconteceu recentemente com a patti smith, que se enganou a cantar dylan na cerimónia de entrega dos prémios nobel. um desses momentos, dos mais tocantes, para mim é este, em que dweezil recria um dos grandes temas instrumentais do seu pai, frank zappa. ao longo da execução vamos percebendo que ele fica cada vez mais emocionado e por volta do 6º minuto, certamente recordando o pai, não consegue esconder as lágrimas. mas não pára, nunca deixa de tocar, e leva o tema até ao fim. e não conheço ninguém que também não se emocione com isto.





[ e, para quem gosta do exercício das sete diferenças, é descobri-las aqui ]




2 comentários:

  1. Emocionante, de facto. Talvez consolem um pouco, as palmas do público.

    Um belíssimo azul.

    ResponderEliminar