08 dezembro 2015







fábula  de  um  lento  solo  de  piano






é aqui, nesta obscuridade das paredes nuas, que um som me acorda
um ruído de fogueira, de rumor de mar ou oboé longínquo
tento decifrar a mensagem onde há notas de harpa
por vezes apenas um lento solo de piano


não reparei logo que a música era interior, apenas escutada em mim
pois me pareceu que emanava da tua respiração adormecida
uma melodia ondulante que pairava triste sobre nós
por vezes apenas um lento solo de piano


e se fosses tu a tocar? se o agora estivesse a recordar um outro tempo
em que serenas as tuas mãos apenas afloravam essas teclas
e entoavam em segredo algo que só nós ouvíamos
por vezes apenas um lento solo de piano


e se fosse um deus a tocar? se assim quisesse lembrar o fim da noite
dizer-me que as canções intuídas não podem ouvir-se assim
que há uma ária não segredada no silêncio do sono
por vezes apenas um lento solo de piano






6 comentários: