07 junho 2015





O mar nos teus olhos




I

É o mar, meu amor,

na febre dos teus olhos

é o manso fascínio

da onda que se inventa

É o mar, meu amor,

mestiço nos teus olhos

é o mirto, o queixume

a mansidão tão lenta


II

É o mar, meu amor,

o lastro dos sentidos

que afogas nos olhos

sem nunca te afundares

É o mar, meu amor,

que transportas nos olhos

e onde eu nado o tempo

sem nunca me encontrar







Maria Teresa Horta






[lê-se melhor aqui]

4 comentários:

  1. Há muito que não lia a autora.Ontem peguei num livro e li alguns dos seus poemas; hoje, leio-a aqui de novo. Feliz coincidência. :)

    ResponderEliminar
  2. Poema muito bonito.
    Fala de olhos de abismo e eu só gosto deles assim. Acho que toda a gente sabe disso;)
    Boa semana, josé luís!

    ResponderEliminar