16 novembro 2013







tu que viste...





tu que viste fiordes e corais,
que chegaste das palavras
subterrâneas e do que fica

por dizer, que aprendeste o silêncio
em várias línguas e atiraste um dia
a moeda ao ar para enganar

a morte, quantos verbos
queres mais para percorrer 
esta narrativa inútil?










Renata Correia Botelho











6 comentários:

  1. Amarremo-nos aos mastros ou afoguemo-nos, será sempre uma boa pergunta :)

    ResponderEliminar
  2. uma palavra submersa tem as mesmas letras? será sempre uma boa resposta :)

    ResponderEliminar
  3. Em todo o caso, a tua Lisboa não é mais bonita que a minha, sim :)

    ResponderEliminar
  4. claro que é… :)
    http://vimeo.com/25291051

    ResponderEliminar
  5. Contra a tua Teresa Salgueiro, a nuca de uma desconhecida com uma clave de Sol, na minha última vez, com a minha mais pequenina, no autocarro :)

    ResponderEliminar
  6. quem não crê é como quem não vê, ó
    ;)

    ResponderEliminar