25 outubro 2013









Não é o coração
mas esta carne
em seu rumor.

Não é o coração
mas teu silêncio
de intenso furor.

Não é o coração
mas as mãos
sem corpo, vazias.
Na grave melodia
de um instante
tu e eu
em desequilíbrio
na infame
consistência
de um absoluto
obstáculo.









Ana Marques Gastão










2 comentários:

  1. Sou um ser tão avesso a poesia e depois venho aqui, leio e gosto!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é como eu: sou um ser tão avesso à cozinha, e depois vou à panificadora, leio... e gosto! ;)

      Eliminar