17 setembro 2013











fábula  do  silêncio  entre  as  palavras






senti que uma âncora se içara e então soube que a tua nau partira para sempre
n ã  o     f      u       j        a         s              d               e                 m                 i                    m
o grito ficou comigo como espuma não liberta pelo vento e depois já só restou
o                         silêncio                          entre                           as                         palavras











5 comentários:

  1. Quando o poema é bonito faz ainda melhor. :)

    ResponderEliminar
  2. que bonito senhor josé luís! e que moderno! uma fábula com arranjos visuais! ps. se o senhor escrevesse uma fábula por dia nem sabe o bem que lhe/nos fazia... ;))

    ResponderEliminar
  3. e nem se sabe o bem que lhe/nos fazia
    se tal se aplicasse a si, menina maria...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ;) o senhor josé luís é um simpático cavalheiro e a menina agradece a simpatia ;)

      Eliminar