08 janeiro 2013










Por vezes de um poema concluído
subsiste um aroma frágil instantâneo
que acende sobre nós uma ingénua estrela
que ilumina os nossos gestos
e aligeira os passos sobre as pedras claras








António Ramos Rosa








Sem comentários:

Enviar um comentário