07 novembro 2012











Ein Traum







Sabiam os três.
Ela era a companheira de Kafka.
Kafka tinha-a sonhado.
Sabiam os três.
Ele era o amigo de Kafka.
Kafka tinha-o sonhado.
Sabiam os três.
A mulher disse ao amigo:
«Quero que esta noite me desejes».
Sabiam os três.
O homem respondeu-lhe: «Se pecamos,
Kafka deixará de nos sonhar».
Um deles soube.
Na terra não havia ninguém mais.
Kafka disse:
«Agora que partiram ambos, fiquei só.
Deixarei de me sonhar».









Jorge Luis Borges










1 comentário:

  1. Numa magnífica nota final, Borges confessa:
    «Certas páginas deste livro foram dádivas de sonhos. Uma, “Ein Traum”, foi-me ditada uma manhã em East Lansing, sem que eu a compreendesse e sem que me inquietasse particularmente; pude transcrevê-la depois, palavra por palavra. Trata-se, é claro, de uma mera curiosidade psicológica ou, se o leitor for muito generoso, de uma inofensiva parábola do solipsismo».

    ResponderEliminar